Posts

,

Tabagismo também é responsável por causar infertilidade

No Dia Mundial de Combate ao Fumo, população deve ser alertada a respeito dos efeitos nocivos do cigarro ao aparelho reprodutor, tanto do homem quanto da mulher

No próximo dia 31 de Maio é comemorado o Dia Mundial de Combate ao Fumo. Todos os fumantes sabem – ou deveriam saber – que o cigarro contém mais de 4000 componentes químicos, incluindo 43 carcinogênicos (que podem causar câncer). As pessoas em geral também têm consciência de que ele é responsável por diversos danos à saúde, principalmente por causar câncer no pulmão e doenças respiratórias. Já, quando se trata dos efeitos causados à fertilidade, muitos não sabem das consequências que o hábito de fumar traz aos casais que desejam ter filhos. Estudos recentes na área comprovam, por exemplo, que 13% da infertilidade feminina está relacionada ao tabagismo.

De acordo com Dra Silvana Chedid há diversas complicações que podem resultar em pacientes inférteis e que estão relacionadas ao tabagismo:

  • Nas mulheres: o cigarro é responsável por mudanças no ciclo reprodutivo, por alterações hormonais, por diminuir a reserva ovariana, pela diminuição das taxas de sucesso em tratamento de reprodução assistida e, ainda, pode ser prejudicial durante toda a gestação.
  • Nos homens: o fumo altera os sistemas de defesa dos espermatozoides contra oxidação, além de poder modificar parâmetros avaliados em espermogramas.

“O cigarro também tem um papel mutagênico, ou seja, é capaz de realizar mutações tanto no óvulo como no espermatozoide”, afirma Dra. Silvana Chedid.

O tabagismo está também ligado à perda gestacional, tanto em gravidez espontânea quanto na concepção após ciclos assistidos [procedimentos que são necessários em um tratamento de reprodução assistida]. Mulheres que fumam mais de 20 cigarros por dia têm quase quatro vezes mais chances de terem uma gravidez ectópica – que ocorre fora da cavidade uterina.

Outras pesquisas demonstram que os homens fumantes também podem ser bastante afetados: “é possível que haja redução na densidade, mobilidade e, até mesmo, na morfologia dos espermatozoides”, explica a doutora.

,

Conheça alguns hábitos que podem ajudar a prevenir a infertilidade

Planejar uma gravidez é uma decisão que pode demorar. Para muitos casais, é preciso tempo para se estabelecer financeiramente, profissionalmente e até emocionalmente. Além disso, a biologia dos dois tem que jogar a favor. Alguns hábitos são essenciais para não comprometer a fertilidade. Manter o peso adequado através de uma boa alimentação, praticar atividades físicas e não fumar são fatores que contribuem para uma boa qualidade do óvulo e do espermatozóide. A prevenção de doenças sexualmente transmissíveis também é importante pois evita a formação de aderências ou obstrução nas trompas. Dosagens hormonais avaliam a reserva hormonal e o espermograma mostra se está tudo normal com o homem.

Médicos ressaltam que o organismo de cada mulher funciona de uma forma. Mas, se em um ano de relações sexuais sem uso de forma de anticoncepção a mulher, mais jovem que 35 anos, não engravidar, pode haver algum problema e é preciso procurar um médico. Após os 35, pode levar seis meses antes de buscar ajuda. A partir dos 40, o auxílio é essencial assim que decidir tentar.

Condições de trabalho podem afetar fertilidade

Pesquisadores de Harvard, nos Estados Unidos, realizaram pesquisa que mostra como a fertilidade de mulheres que carregam muito peso em suas atividades profissionais ou trabalham por turno, especialmente o noturno, pode ser afetada.

O estudo foi publicado recentemente na revista científica Occupational and Environmental Medicine e alerta que a mulheres precisam estar cientes dos reflexos que o trabalho pode ter em suas vidas reprodutivas.

Verificou-se diferença na reserva ovariana entre as mulheres que carregam peso no trabalho e as que não carregam, com quantidades menores para as primeiras.

Nas mulheres que trabalham em turnos, percebeu-se que a quantidade de óvulos maduros era menor em relação as que trabalham em horário comercial. As trabalhadoras de turnos no final do dia e nos turnos noturnos apresentaram contagem ainda menor de óvulos maduros. Para os pesquisadores, o relógio interno do corpo é afetado pelos horários diferenciados do horário padrão.

Por isso, equilibre bem o seu trabalho com o lazer e os períodos de repouso. Hoje é sexta feira, relaxe e aproveite o fim de semana com sua família!