Reprodução Humana Assistida

Nossos tratamentos

Cada caso é tratato de forma individualizada. Por isso, na Chedid Grieco analisamos minuciosamente nossos pacientes antes de realizar o diagnóstico e decidir a aplicação de um tratamento específico.

  • Inseminação Artificial

O que é?

A inseminação Artificial é uma técnica simples, que consiste no depósito do esperma no interior da cavidade uterina. Desta forma, buscamos diminuir a distância que separa o óvulo e o espermatozoide, e facilitar o encontro dos dois.

Para quem é indicado?

  1. Casos de esterilidade de origem desconhecida.
  2. Casos em que a mulher não ovule normalmente, ou apresente características que dificultam a sobrevivência dos espermatozoides.
  3. Casos de alterações no colo uterino.
  4. Casos em que o homem apresente pequenos defeitos no esperma com relação à concentração ou mobilidade. Ou ainda, padeça de alguma anomalia genital que impeça o coito ou dificulte a ejaculação.
  • Fertilização In Vitro

O que é?

A fertilização In Vitro (FIV), consiste na união do óvulo com o espermatozoide no laboratório – in vitro -, com o objetivo de obter um número de embriões para transferir ao útero materno.

A inseminação dos óvulos pode ser realizada mediante a técnica de FIV convencional ou da Injeção Intracitoplasmática de Espermatozoides (ICSI), esta última indicada em casos de fator de esterilidade masculina grave.

Para quem é indicado?

  1. Pacientes com tentativas anteriores fracassadas de Inseminação Artificial.
  2. Mulheres com ausência ou lesão nas trompas.
  3. Mulheres com endometriose.
  4. Fecundação com óvulos previamente vitrificados.
  5. Transtornos ovulatórios e imunológicos.
  6. Casos de infertilidade masculina severa.

FIV com Doação de ÓVULOS

O que é?

A FIV com doação de óvulos é um processo através do qual uma doadora entrega seus óvulos, que unidos ao espermatozoide do casal, é transferido à receptora do tratamento que deseja realizar o desejo de ser mãe. A doação de óvulos permite o milagre da vida para mulheres que de outra forma não poderiam ter filhos.

As mulheres receptoras devem tomar um medicamento que proporciona capacidade ao seu útero para receber a implantação de embriões transferidos e, enquanto a doação é providenciada, a paciente é acompanhada pela Chedid Grieco para realizar o processo.

Para quem é indicado?

  1. Mulheres com distúrbios dos ovários, sem menstruações espontâneas em consequência de menopausa, com falha precoce dos ovários ou que tenham sido submetidas a cirurgia dos ovários.
  2. Mulheres cuja função dos ovários não lhes permite utilizar os seus próprios óvulos, seja pela má qualidade dos mesmos, ou por doenças hereditárias transmissíveis à descendência, que não possam ser detectadas através das técnicas de Diagnóstico Genético Pré-Implantação (DPI)

Mulheres com fracassos repetidos na fecundação in vitro:

  • Baixas respondedoras: que não respondem à estimulação dos ovários.
  • Falha de fecundação em ocasiões repetidas com a ICSI.
  • Falha repetida na implantação dos embriões (fracasso repetido de gestação)

Outros casos nos quais se recomenda a recepção de óvulos doados são quando a mulher tem ovários inacessíveis para a obtenção de óvulos, tenha sofrido abortos de repetição, ao observar alterações cromossômicas na mulher ou nos embriões, mulheres com mais de 40 anos com probabilidades de gestação muito reduzidas, ou com elevado risco de Síndrome de Down, entre outros.

Preserva

O que é?

A preservação da fertilidade é um tratamento que oferece a possibilidade de postergar a maternidade a todas as mulheres que assim queiram.

Para quem é indicado?

Pacientes com enfermidades: Um importante grupo pacientes com diagnóstico de câncer necessitam recorrer a esta técnica antes de receber o tratamento de quimioterapia ou radioterapia, doenças autoimunes que precisem de quimioterapia, transplantes de medula óssea ou com risco de cirurgia ovariana repetida, como a endometriose.

Mulheres que decidem planejar uma maternidade tardia por motivos sociais, por outras prioridades ou por fatores econômicos e julgam ser inviável serem mães no momento da vida em que estão, mas desejam garantir a qualidade de seus óvulos antes de seu envelhecimento.

Existem duas técnicas de preserva:

Vitrificação de óvulos: permite que os óvulos maduros conseguidos através de estimulação ovariana sejam criopreservados para uso posterior mantendo o estado de fertilidade existente no momento da vitrificação para quando a paciente decida utilizá-lo. A técnica de vitrificação permite um ótimo resultado no momento de descongelar (97% de sobrevivência).

Criopreservação do córtex ovariano: permite reestabelecer a função ovariana, inclusive com a possibilidade de conseguir gestações espontâneas. Consiste na extração mediante cirurgia laparoscópica do córtex de um dos ovários para ser congelado.

Nossas técnicas

A Chedid Grieco foi pioneira em introduzir novas técnicas de reprodução e desenvolver tecnologias que permitiram o nascimento de bebês livres de enfermidades hereditárias de seus pais.

ICSI

O que é?

A Injeção Intracitoplasmática de espermatozoides (ICSI) é uma técnica de reprodução assistida dentro do tratamento de FIV que tem permitido alcançar o êxito da gravidez em casos de fator de esterilidade masculina grave. Através do ICSI o homem proporciona uma amostra de sêmen ou é realizada uma biopsia testicular, nos casos de maior gravidade, com o objetivo de extrair e selecionar os melhores espermatozoides que serão utilizados para a fecundação do óvulo.

A ICSI permite a união direta do óvulo e espermatozoide, facilitando a fecundação. Um espermatozoide com baixa mobilidade ou má morfologia tem maior dificuldade de conseguir fecundar o óvulo de forma natural ou mediante a técnica de FIV clássica.

Para quem é indicado?

  • Homens com um baixo número de espermatozoides, problemas de mobilidade ou má morfologia dos mesmos.
  • Homens que realizaram uma vasectomia.
  • Enfermidade infecciosa ou infertilidade de causa imunológica.
  • Dificuldade para ejacular em condições normais, como ocorre na ejaculação retrógrada (problemas neurológicos, diabetes,…)
  • Casos de amostras criopreservadas de homens vasectomizados ou submetidos a tratamento radioterápico ou quimioterápico.
  • Outros fatores: fracasso repetidos depois de vários ciclos de FIV e IA, baixo número de óvulos depois de uma punção ou quando é necessário identificar embriões saudáveis no caso de DPI.

Embrioscópio

O que é?

O embrioscópio é uma incubadora avançada que permite observar o embrião minuto a minuto desde o momento da fecundação in vitro até o dia da transferência ao útero. Esta nova técnica permite obter uma grande quantidade de informação precisa e objetiva de cada embrião que antes de sua existência era impossível registrar.

Graças ao embrioscópio conhecemos novos aspectos dos embriões de forma não invasiva, já que evita a retirada do embrião da incubadora para avaliar seu desenvolvimento, melhorando critérios de seleção e consequentemente a possibilidade de gravidez.

As vantagens com relação ao restante de incubadoras:

  • Melhorar a seleção embrionária.
  • Melhorar as condições de cultivo e a manipulação do embrião.
  • Oferece mais informações sobre o embrião aos futuros pais.
  • Oferece um registro cinematográfico sobre os inícios clínicos de futuro bebê.